Interpretação dos sonhos

Ciência, espiritualidade e crendices

Com certeza algum dia você deve ter visto, em algum lugar, alguma publicação contendo chaves e símbolos para a interpretação de sonhos. Sonhar com animais, acontecimentos, partes do corpo, morte, etc., teriam significados prontos e fechados para qualquer pessoa, supostamente baseados em estudos sobre o inconsciente coletivo, algumas vezes até mencionando nomes como Sigmund Freud ou seu discípulo Carl Gustav Jung.

Há inclusive “serviços” online que oferecem interpretação de sonhos mediante o pagamento de alguma quantia em dinheiro. Há até mesmo os conhecidos dicionários de sonhos.

Invariavelmente tudo isso não passa de material inútil, pura enganação, e o motivo é muito simples: ninguém será capaz de interpretar seus sonhos a não ser você mesmo, de preferência devidamente orientado por um terapeuta. E não se trata de tarefa fácil ou garantida.

Mensagens simbólicas e projeção da consciência

No primeiro capítulo do livro “O homem e seus símbolos”, Jung explica a função dos sonhos no equilíbrio psicológico das pessoas e a necessidade de se ter contato com esse mundo simbólico. Apresenta explicações interessantes sobre a possibilidade de se interpretarem os sonhos e deixa muito claro a extrema dificuldade em se conseguir algum resultado positivo. Segundo Jung, é preciso que paciente e terapeuta estejam em total sintonia para que se consiga decifrar o que as mensagens simbólicas enviadas pelo inconsciente estão querendo transmitir. O que o paciente está tentando dizer a si mesmo.

Mas nem só de ciência ortodoxa vivem as interpretações. Há também a visão das ciências ditas ocultas, entre elas a projeciologia, que explica alguns tipos de sonhos como lembranças de viagens da consciência fora do corpo físico durante o sono, não descartando o tipo de sonho gerado pelo inconsciente, remetendo também às ideias de Jung.

Há ainda opiniões de alguns grupos místicos, como os rosacruzes, que apresentam orientações mais sintonizadas nos ensinamentos de Jung do que os da projeciologia. Um meio de caminho entre o puramente científico e o místico.

Sonhos são importantes mas difíceis de decifrar

Seja qual for a linha filosófica ou científica por trás da análise dos sonhos, duas coisas são consenso entre eles: os sonhos são muito importantes para serem ignorados e não é possível interpretar sonhos com base em algum dicionário genérico.

Então, se o que sonhamos é tão importante, o que fazer para começar a tentar entender suas mensagens?

Nesse ponto, Jung e seus discípulos, rosacruzes e projeciologistas concordam plenamente: para começar, mantenha sempre um caderno e um lápis ao seu lado na cama e anote TUDO o que puder. Como também é comum nos lembrarmos de um sonho no meio do dia, mantenha um caderno sempre com você para fazer também essas anotações. Com o passar do tempo e a ajuda de um terapeuta qualificado, poderá iniciar o processo de identificação dos símbolos utilizados pelo inconsciente para representar ideias entendidas pela mente consciente.

Sonhos lúcidos e premonições

Extrapolando novamente a ciência ortodoxa, avançamos para os chamados sonhos lúcidos. Nesse tipo de sonho a pessoa sabe que está sonhando e percebe que tem algum controle sobre os eventos. No livro Os Sonhos, Reflexos de um mundo exterior e interior, de Phyllis Pipitone (Biblioteca Rosacruz, 1984), o autor menciona rapidamente esse tipo de sonho e comenta que a prática não deve ser tentada com muita frequência… um comentário estranho, já que não apresenta qualquer técnica que leve ao sonho lúcido.

Já no livro Projeções da Consciência – Diário de experiências fora do corpo físico, de Waldo Vieira (Editares, 2005), o autor, criador da Projeciologia, classifica os sonhos em categorias diversas, inclusive o tipo reconhecido por Jung e discutido abertamente pelos Rosacruzes. Contudo, o assunto central do livro são os sonhos gerados pela consciência enquanto projetada para fora do corpo, normalmente durante o sono. Como assim? O estudo e a prática da projeciologia inclui a saída intencional e consciente do corpo, sem o adormecimento da consciência.

Na análise dos sonhos decorrentes das experiências fora do corpo, considera-se a possibilidade de encontros com outras consciências, seja de pessoas adormecidas no mesmo momento ou de pessoas já falecidas, hipóteses documentadas somente pelos estudiosos das ciências ditas ocultas.

Mesmo Jung, em seu livro O Homem e Seus Símbolos, aborda os sonhos premonitórios, ou seja, aqueles que acabam se tornando realidade. Aborda, mas não consegue apresentar explicações.

A essas alturas o leitor já deve ter percebido que interpretar sonhos não é tarefa fácil ou mesmo segura. Deve ter percebido, também, que consultar-se em websites sobre o significado dos seus sonhos é total perda de tempo (e dinheiro).

Para saber mais sobre os sonhos

Se você desejar saber mais sobre os sonhos, sugiro então os três livros já mencionados neste post, que relaciono abaixo:

O Homem e Seus Símbolos – Carl Gustav Jung – Nova Fronteira – 2008

Os Sonhos – Reflexo de um mundo interior e exterior – Phyllis Pipitone – Biblioteca Rosacruz (muito antigo, talvez você encontre em algum sebo)

Projeções da Consciência – Waldo Vieira – Editares 2005

 

2 thoughts on “Interpretação dos sonhos

    • Olá Nirle,

      Como descrevi no artigo, a melhor maneira de você iniciar uma interpretação dos seus sonhos é procurar um bom terapeuta. Não se trata de um processo simples e exige um trabalho conjunto entre paciente e orientador.
      Os sonhos são mensagens do seu inconsciente.

      Um abraço!
      Marcos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>